SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE PIRACICABA

Coordenador do Observatório colaborou com missão que levou homem à Lua

19 de julho de 2019 • André Cruz

Neste sábado, a conquista da lua completa 50 anos. Uma das maiores proezas da história, o pouso do módulo Eagle, da Apollo 11, e o desembarque de Neil Armstrong no solo lunar ficou marcado pela frase “um pequeno passo para o homem, um grande salto para a humanidade”.

A proeza foi tão grande que, cinco décadas, após o 20 de julho de 1969, o feito ainda fascina, principalmente, aqueles que participaram, de alguma forma, do projeto.

Com orgulho, o coordenador do OAPES (Observatório Astronômico de Piracicaba Elias Salum), Nelson Travnik, conta que foi um dos observadores brasileiros credenciados pela Nasa (agência espacial americana), responsável pela missão Apollo, a atuar como observador lunar.

Nós ficávamos o tempo todo observando a lua e a orientação era para comunicar qualquer evento estranho”, disse.

A preocupação, segundo Travnik, era com “fenômenos que aconteciam na superfície lunar que não tinham uma explicação satisfatória e poderiam representar algum perigo na hora do pouso”. Além dos brasileiros, observadores de várias partes do mundo participaram da missão, com essa mesma orientação.

Nessa época, Travnik trabalhava em Minas Gerais, no observatório Astronômico Flammarion, da cidade de Matias Barbosa. No Brasil, a equipe era coordenada pelo astrônomo chefe do Observatório Nacional do Rio de Janeiro, Ronaldo Rogério de Freitas Mourão, que morreu no dia 25 de julho de 2014, aos 75 anos. O trabalho era denominado LION (rede de observadores internacionais), na sigla em inglês.

Mas a participação brasileira na epopeia não ficou apenas na observação. A água da cidade de Lindoia foi a escolhida pela Nasa para os astronautas ingerirem no espaço. “Quando conto isso em minhas palestras e alguém duvida, mostro a foto da nota fiscal (da venda do produto)”, disse.

A decisão da Nasa de escolher a água de Lindóia estava amparada em estudo de 1926, da polonesa Marie Sklodowska Curie, uma das mais conceituadas cientistas do início do século passado. “Pesou a visita a essa cidade feita pela madame Curie e sua filha Iréne, que atestou a qualidade excepcional de radioatividade da água, poder diurético e sais minerais”. Cem frascos de meio litro da água foram vendidos para a Nasa.

EXPOSIÇÃO

Para comemorar os 50 anos da chegada do homem à lua, o Casarão do Turismo sedia até o dia 28 de julho uma exposição comemorativa. A mostra pode ser vista aos sábados, domingos e feriados, das 9h30 às 17h30. A entrada é gratuita.

No local, os visitantes poderão conferir conteúdos relacionados à astronomia e exploração espacial, como ilustrações do nascimento e morte das estrelas, constelações, planetas e galáxias; maquete do sistema solar; apresentação de vídeos da descida do homem à lua. explosões solares, lançamento da Apolo 11 e vista em órbita da lua, por meio da sonda japonesa.

SERVIÇO

Exposição 50 anos do Apolo 11. No Casarão do Turismo, Rua do Porto. Visitação até 28/7, aos sábados, domingos e feriados, das 9h30 às 17h30. Entrada franca. Informações: (19) 3403-2634.

‹ voltar